A história de superação e solidariedade do empresário Felipe Castelo

Foi durante o momento mais crítico da pandemia da Covid-19 que o manauara Felipe Cordeiro, 34, sentiu na pele o impacto de sobreviver a dois AVCs. O primeiro aconteceu durante o treino de rotina, na academia onde Felipe sempre frequentou. Amparado por um amigo médico, ele foi levado para o Hospital 28 de agosto, na capital amazonense. O segundo evento ocorreu cinco dias após o primeiro, na data programada para o jovem empresário receber alta médica.

Felipe conta que logo após o primeiro AVC, sua família precisou levar creme dental, escova de dente e sabonete, pois no hospital não havia kits de higiene destinados aos pacientes. Consternado com a falta de itens tão essenciais, Felipe começou a pensar como ele poderia contribuir para melhorar a realidade do hospital, que recebe muitos pacientes de famílias carentes e que nem sempre possuem recursos para suprir essas necessidades. 

“O hospital estava lotado, eu vi muita gente. Foi bem no meio da pandemia. Eu conversei com alguns amigos médicos e eles disseram ‘Cara, você não faz ideia o quanto esses kits de higiene fazem falta’. Então, eu percebi que eu estava ali por uma razão. Se eu voltei e fiquei, isso quer dizer que existe algum motivo para ter acontecido”, declara. 

Os efeitos do segundo AVC foram mais severos. “Eu voltei com a parte esquerda do meu corpo paralisada”, conta Felipe. Mesmo assim, após dois meses, ele tem surpreendido médicos e fisioterapeutas com a evolução do seu tratamento. “Já estou andando com dificuldade, mas já estou andando. Já estou mexendo o braço com dificuldade, mas estou mexendo. E também estou falando não tão pesado como antes. Eu sei que isso é muito trabalho e que Deus está comigo.” 

Felipe decidiu transformar o milagre de sua vida em solidariedade. Em parceria com a Alto Rio Negro e o Parceiros Brilhantes, ele doou 600 kits de higiente pessoal para o Hospital 28 de Agosto. Seu desejo é inspirar outras pessoas assim como ele foi inspirado. 

“Eu quero incentivar as pessoas. A gente incentiva muita gente a fazer tantas coisas. Por que não incentivar as pessoas a fazerem o bem? E eu conto com o Parceiros Brilhantes pra me ajudar nisso. Porque eu sei que vocês têm um foco que é ajudar as pessoas”, finaliza. 

Confira o vídeo abaixo para assistir ao depoimento completo de Felipe:

Deixe uma resposta